SEJA BEM-VINDO AO SITE MONTEJUNTO PORTUGAL-ESPERO QUE SE DIVIRTA AO CONHECER PORTUGAL E O MUNDO-MUITO OBRIGADO POR VISITAR MONTEJUNTO PORTUGAL E VOLTE SEMPRE-O MONTEJUNTO PORTUGAL DESEJA A TODOS OS SEUS VISITANTES E AMIGOS UM SANTO E FELIZ NATAL-E UM ANO NOVO COM MUITAS FELICIDADES

NOSTRADAMUS

 

A

Nostradamus

Michel de Nostredame ou Miquèl de Nostradama , mais conhecido sob o nome de Nostradamus, foi um apotecário e médico da Renascença que praticava a alquimia como muitos dos médicos do século XVI. Ficou famoso por sua suposta capacidade de vidência. Sua obra mais famosa, As Profecias, é composta de versos agrupados em quatro linhas quadras, organizados em blocos de cem centúrias; algumas pessoas acreditam que estes versos contém previsões codificadas do futuro .

Sofria de epilepsia psíquica, de gota e de insuficiência cardíaca. Morreu em 2 de julho de 1566 em Salon-de-Provence, vítima de um edema cárdio-pulmonar.

Biografia

Infância e origens

Michel de Nostredame nasceu no dia 14 de dezembro de 1503 ou 21 de dezembro de 1503 em Saint-Rémy-de-Provence, no sul da França. Seus pais eram Jaumet ou Jacques de Nostredame e Reynière ou Renée de Saint-Rémy. Filho mais velho do casal eram 8 filhos, seu Nostredame vem de seu avô judeu, que escolheu o nome de Pierre de Nostredame quando se converteu ao catolicismo, provavelmente em 1455 . Reyniére era filha de René de Saint-Rémy filho de Jean V de Saint-Rémy e Silete e Béatrix Tourrel filha de Jacques Tourrel. Já Jaumet era filho de Pierre de Nostredame, nascido Pierre de Vélorgues filho de Amauton de Vélorgues e Blanche de Sante-Marie filha de Pierre de Sante-Marie e da senhora de Labia.

Época de estudante

Quando tinha 15 anos, Nostredame entrou na Universidade de Avinhão para cursar o bacharelado. Depois de pouco mais de um ano, quando ele estava estudando o Trivium gramática, retórica e lógica, teve que sair de lá por causa de uma epidemia de peste negra. Depois de deixar Avinhão ele viajou pelo país por oito anos, de 1521 a 1529, em busca de ervas medicinais. Em 1529, após alguns anos como apotecário farmacêutico, ele entrou na Universidade de Montpellier para cursar doutorado em medicina. Em 1530, ele foi expulso da universidade porque eles descobriram que ele era apotecário e isso era proibido segundo os estatutos da universidade. O documento de expulsão  ainda se encontra na biblioteca da universidade. Depois da expulsão, Nostredame voltou a ser apotecário e se tornou famoso por criar uma "pílula rosa" que supostamente protegia as pessoas daquela praga por conter altas doses de vitamina C.

Química

Nostradamus foi o primeiro a descrever o ácido benzoico, obtido por sublimação da goma de benjoim, obtida do benjoeiro.

Casamentos

Em 1531, Nostredame foi convidado por Julius Caesar Scaliger, um líder polímata, para ir a Agen. Lá ele casou-se com uma mulher de nome ainda incerto provavelmente Henriette d'Encausse, e teve dois filhos com ela. Em 1537, sua esposa e os dois filhos morreram supostamente por causa da peste negra. Então viajou pela França e provavelmente pela Itália.

Em 1545, ele ajudou o físico Louis Serre para combater um surto da praga em Marselha e depois em Salon-de-Provence e Aix-en-Provence. Depois, em 1547, casou-se com uma viúva chamada Anne Ponsarde Gemelle e teve seis filhos com ela três filhos e três filhas.

Carreira como vidente

Com seus conhecimentos sobre o ocultismo e com a sua suposta habilidade de prever o futuro, começou a escrever uma série de almanaques anuais, sendo o primeiro lançado em 1550, e passou a utilizar o seu nome em latim, de Nostredame para Nostradamus. Quando ele lançou o livro Les Propheties As Profecias, muitas pessoas passaram a pensar que ele era o demônio e o chamavam de herege. Mas outras classes sociais aprovaram a publicação, porque suas centúrias inspiravam profecias espirituais. Então o livro chamou a atenção de Catarina de Médicis, esposa de Henrique II de França, que era uma grande admiradora de Nostradamus, e depois ela o chamou para Paris para perguntar a ele qual seria o futuro de seus filhos através do horóscopo.

Últimos anos e morte

Em 1566, a gota se transformou em edema. Em 1 de Julho, um dia antes de morrer, Nostradamus supostamente previu a sua própria morte, dizendo ao seu secretário Jean de Chavigny: "Você não me achará vivo ao amanhecer". No dia seguinte, ele foi encontrado morto próximo de sua cama e de um banquinho Presságio 141 originalmente 152 em Novembro de 1567, que foi postumamente editado por Chavigny para adaptação. Ele foi enterrado em uma capela local Franciscana parte da capela foi depois incorporada ao agora restaurante La Brocherie e depois foi novamente enterrado no Collégiale St-Laurent durante a Revolução Francesa, onde está enterrado até os dias de hoje.

Carreira e vida pessoal

As profecias de Nostradamus encontram-se ligadas à história do catolicismo, e, em prefácios, ele aponta esta preocupação claramente. Foi considerado como homem erudito, além de seu tempo e aliava-se ao fato de conhecer o latim e o grego , que lhe possibilitavam obter conhecimentos de fontes importantes. Sua grande erudição, conhecimentos de astrologia e astronomia, aliados à intuição, permitiam-lhe um raciocínio bastante acurado a respeito do futuro. De qualquer forma, gerou um impacto em milhões de pessoas, que vêm se pondo em contato com seus escritos nesses quase quinhentos anos.

Teve contatos com três reis da França Rei Henrique II , Rei Francisco II e Rei Carlos IX, graças à rainha Catarina de Médicis, esposa do primeiro e mãe dos seguintes.

Há indícios de que tenha estudado Medicina, mas provas apontam na direção que não tenha se formado, por ter sido expulso da escola de Montpellier, mas de qualquer maneira dedicou muito do seu tempo ao estudo da Astrologia, Alquimia, Literatura e talvez Teologia. Há rumores que, muito jovem, depois de aprender latim, grego e hebraico, viajou por diversas cidades da França, permanecendo durante anos em Bordeaux, Agen e Avinhão , onde dizem que combateu epidemias de peste em condições pouco conhecidas. No entanto, sua ligação com a endemia pode ser inferida por um livro sobre a doença que escreveu mais tarde, mas essa mesma peste, dizem, condenou-o a ficar sem família. Na sua trajetória consta uma viagem para Itália.

a

A

a

a

a

a

a

a

a

a

a

a

a

a

a

a

a

a

a

A

A

a

a

A